Sorry, you need to enable JavaScript to visit this website.
Adicione aos Favoritos
Salvar ícone no telefone

Saiba como monitorar a saúde do coração

A melhor forma de prevenir doenças cardíacas é monitorar a saúde do coração no dia a dia. O principal benefício desse hábito é conhecer melhor o funcionamento normal do órgão para identificar mais facilmente qualquer irregularidade a tempo de procurar um médico. Dependendo do caso, pode ser preciso realizar algum exame mais completo e o diagnóstico precoce faz toda a diferença para evitar que a situação se agrave. Existem diferentes formas de acompanhar a saúde do coração e o ideal é combiná-las para garantir uma prevenção mais eficaz de doenças cardiovasculares.

1) Não espere até sentir palpitações ou dor no peito para ir ao cardiologista
Muitas pessoas só procuram um cardiologista quando percebem incômodos como palpitação, dor no peito e falta de ar. No entanto, a recomendação dos profissionais de saúde é visitar o médico pelo menos uma vez por ano a partir dos 30 anos para realizar exames de rotina e descobrir possíveis irregularidades o mais cedo possível, antes que os sintomas apareçam. 
"As doenças cardiovasculares são a principal causa de morte no Brasil e no mundo, e algumas delas podem ser silenciosas"¹, afirma o cardiologista Hélcio Costa Júnior. "O acompanhamento de um profissional é fundamental para reduzir a morbimortalidade associada a esses quadros." Dessa forma, mesmo doenças assintomáticas serão diagnosticadas com mais rapidez, o que permite ao paciente iniciar o tratamento adequado mais cedo e, com isso, aumentar as chances de uma recuperação tranquila e completa. 

2) Gadgets que medem os batimentos cardíacos podem ser grandes aliados
Uma forma simples de identificar sinais de uma arritmia cardíaca é usar dispositivos como relógios ou pulseiras que medem os batimentos ao longo do dia. O uso desses gadgets permite observar se houve alguma variação, em que momento e com qual intensidade. "A alteração no ritmo normal ou no número de batimentos em repouso podem ser sinal de arritmia e de que a pessoa deve procurar atendimento médico", afirma Dr. Hélcio Costa. 

Durante a prática de exercícios ou outro tipo de esforço físico, é normal perceber uma certa aceleração, mas mesmo nesses casos existe um limite saudável. Segundo o especialista, sintomas como palpitações, cansaço aos esforços, dor torácica e tonteira/desmaios devem ser investigados. A qualquer sinal de alerta, agende uma consulta com um cardiologista para avaliar as possibilidades e sanar todas as dúvidas.

3) Hábitos saudáveis ajudam a prevenir doenças no coração 
Além de monitorar os batimentos cardíacos, também é importante priorizar hábitos que ajudam a manter o coração saudável e evitar práticas que coloquem seu funcionamento em risco. "A prevenção é o melhor caminho para tratar doenças cardiovasculares", afirma o Dr. Hélcio Costa. 
"As pessoas que já apresentam fatores de risco para cardiopatia como sobrepeso², sedentarismo, tabagismo², hipertensão arterial, diabetes e os que já apresentaram algum tipo de problema cardiovascular como infarto ou acidente vascular cerebral são as que devem prestar mais atenção no dia a dia", afirma o médico. 

Você pode melhorar sua condição física como um todo reduzindo o consumo de álcool e tabaco, seguindo uma rotina regular de atividades físicas, mantendo uma alimentação equilibrada e tomando os medicamentos adequados para seu quadro de saúde. Para receber orientações personalizadas, busque um cardiologista.

Profissional consultado: Dr. Hélcio Costa Júnior - Cardiologista - CRM/RJ 5273638-4
  

Referências: 
1. Organização Mundial da Saúde. Cardiovascular Diseases. Disponível em: <https://www.who.int/health-topics/cardiovascular-diseases/>
2. Menezes AR, et al. (2015) Lifestyle Modification in the Prevention and Treatment of Atrial Fi-brillation Prog Cardiovasc Dis ;58(2):117–25.


164772-210118 ©Johnson & Johnson do Brasil Indústria e Comércio de Produtos para Saúde Ltda, 2021.
As informações deste material destinam-se unicamente como auxílio geral educativo. Sempre busque a orientação de um profissional de saúde qualificado.
Johnson & Johnson Medical Brasil, uma divisão Johnson & Johnson do Brasil Indústria e Comércio de Produtos de Saúde Ltda. Av. Presidente Juscelino Kubitschek, 2041 Complexo JK - Bloco B, São Paulo/SP, CEP 04543-011 Responsável técnico: Daniela Godoy Pantalena - CRF-SP nº 53.496