Sorry, you need to enable JavaScript to visit this website.
Adicione aos Favoritos
Salvar ícone no telefone

Como se preparar para uma ablação por cateter 

Se você receber indicação do cardiologista para realizar uma ablação por cateter como tratamento para fibrilação atrial, é importante saber o que esperar e como se preparar para o procedimento. Ele é considerado invasivo porém não cirúrgico, então é preciso se informar para se planejar tanto para o dia do atendimento quanto para o período de recuperação. Abaixo, reunimos algumas dicas que podem te ajudar nessa fase, mas não se esqueça de pedir orientações ao seu médico para esclarecer eventuais dúvidas.

Exames e precauções para a ablação por cateter

Antes da realização da ablação por cateter, o médico irá solicitar alguns exames para ter uma visão geral do quadro. Como o procedimento é realizado por um eletrofisiologista, que é um cardiologista especializado nas propriedades elétricas do coração, ele precisa de alguns detalhes a mais para avaliar as particularidades do seu caso e definir a melhor estratégia. 

"Esses exames são importantes para que se conheça o contexto da arritmia, a anatomia cardíaca e potenciais complicadores do procedimento", explica o cardiologista e eletrofisiologista Rodrigo Sá. "Alguns exames que solicitamos frequentemente são o ecocardiograma transesofágico, para que se afastem coágulos nas câmaras cardíacas, por exemplo, e a angiotomografia do átrio esquerdo, que pode ser útil para conhecer a anatomia que será ablacionada", afirma.

Outra preparação importante é perguntar ao seu médico se é preciso interromper o uso de alguma medicação nos dias anteriores à ablação ou evitar certos tipos de alimentos e bebidas. No geral, é recomendado um jejum de 6-8h antes do procedimento, então essa questão também deve ser levada em consideração na preparação. 

Saiba o que esperar da ablação por cateter

Se você sabe o que esperar da ablação por cateter, é mais fácil de se manter tranquilo durante o procedimento. Por isso, lembre-se de esclarecer todas as suas dúvidas com o médico na última consulta. 

Para começar, é importante entender o que é uma ablação e como ela funciona. "Na ablação, cateteres são introduzidos, geralmente pela perna, e conduzidos até uma das câmaras cardíacas, com o objetivo de 'eliminar' um ou mais focos ou circuitos elétricos anormais utilizando como fonte de energia, como a radiofrequência ou a crioenergia", explica Dr. Rodrigo.

O procedimento é realizado com uma anestesia local, então você não deve sentir qualquer dor. A duração pode ser de 4 horas ou mais, dependendo do caso, e a percepção dos resultados também costuma variar. "Dependendo dos sintomas e do contexto clínico subjacente, a melhora do cansaço e da palpitação pode ser imediata, mas também pode levar um pouco mais de tempo de acordo com a causa e a associação a outras doenças", explica Dr. Rodrigo.

Recuperação da ablação por cateter

A ablação por cateter não costuma provocar muitos efeitos colaterais, mas é importante estar preparado para alguns eventuais incômodos. "Alguns sintomas cardiológicos com um grau leve de dor torácica ou mesmo palpitações podem acontecer, assim como sintomas gastrointestinais leves e transitórios como plenitude após as alimentações, que podem durar algumas poucas semanas", afirma Dr. Rodrigo. "Sintomas maiores devem ser comunicados ao médico que realizou o procedimento, pois a interpretação do sintoma somada ao conhecimento da abordagem realizada poderão definir se é algo previsto ou que necessita de maior atenção", explica o especialista. 

Quanto ao retorno aos hábitos normais, como a prática de exercícios e a ingestão de bebidas alcoólicas, a recomendação pode variar, então não deixe de consultar seu médico. De qualquer forma, lembre-se de que manter uma rotina saudável é fundamental para evitar um novo episódio de arritmia.¹ "A fibrilação atrial é uma doença complexa, e um ponto chave do tratamento e da prevenção é o controle rigoroso dos fatores contribuintes, como hipertensão, obesidade, apneia do sono, entre outros", conta Dr. Rodrigo. Por isso, cuidar bem do corpo com uma alimentação balanceada e atividades físicas deve ser uma prática regular, assim como visitas periódicas ao seu médico para acompanhar a evolução do quadro. Para mais dicas, visite nossa página sobre como monitorar a saúde do coração.

Fonte consultada: Dr. Rodrigo Sá - cardiologista e eletrofisiologista - CRM/RJ 52-82907-2
  

Referências: 
1. Menezes AR, et al. (2015) Lifestyle Modification in the Prevention and Treatment of Atrial Fibrillation Prog Cardiovasc Dis ;58(2):117–25.

©Johnson & Johnson do Brasil Indústria e Comércio de Produtos para Saúde Ltda, 2021.
As informações deste material destinam-se unicamente como auxílio geral educativo. Sempre busque a orientação de um profissional de saúde qualificado.
Johnson & Johnson Medical Brasil, uma divisão Johnson & Johnson do Brasil Indústria e Comércio de Produtos de Saúde Ltda. Av. Presidente Juscelino Kubitschek, 2041 Complexo JK - Bloco B, São Paulo/SP, CEP 04543-011 Responsável técnico: Daniela Godoy Pantalena - CRF-SP nº 53.496

172218-210329